All posts by adminetech

12 Jun 2016

Setúbal na vanguarda da tecnologia

Mais de 2 mil visitantes numa mostra de tecnologia inédita

IMG_0387IMG_0819

 

 

 

 

 

 

Realizou-se em Setúbal, nos passados dias 3 e 4 de Junho, a E-TECH PORTUGAL ’16 – uma Feira Tecnológica com Workshops, Stands Temáticos, Demonstrações de Produtos e Serviços, Atividades para famílias e jovens, Concursos de Robótica, Torneios de Minecraft, Counterstrike, HearthStone e Fifa16, e uma Conferência de especialistas subordinada ao tema da Empregabilidade Digital.
Num balanço do evento, o Project Manager Tiago Oliveira vê um cenário positivo: “sendo um evento que se realizou pela primeira vez, em absoluto, tivemos mais de 2 mil visitantes na feira tecnológica – a larga maioria famílias – que puderam ver o que de melhor se faz no território nacional no que toca a área tecnológica”.
Tiago Oliveira destaca ainda outros números – “contámos com 30 expositores das mais diversas áreas da tecnologia, acolhemos 150 assistentes na nossa conferência, organizámos uma LAN Party que roçou a centena de participantes”. “Não podemos estar mais orgulhosos dos resultados”, termina.
Nesta primeira edição da E-TECH PORTUGAL marcaram presença a Secretária de Estado da Cidadania e Igualdade, Catarina Marcelino, o Secretário de Estado da Educação, João Costa, e a presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, que realçou a importância do evento: “tal como no passado foi crucial a alfabetização de adultos no pós-25 de Abril, hoje é fundamental pensar como alfabetizar informaticamente os adultos”.
António Gonçalves, administrador da EDUGEP, vinca a ambição da próxima E-TECH PORTUGAL: “Ambicionamos que esta marca, a E-TECH, venha a ser um evento de referência, não em qualquer outro sítio, mas em Setúbal, onde estamos certos de que há lugar para eventos desta dimensão”. Nesse sentido, antecipando já a edição de 2017, o tema foi já lançado: a industria 4.0 e a internet das coisas.
Da parte da ANPRI, a Presidente Fernanda Ledesma realça a importância do evento para a comunidade educativa, nomeada no papel do professores, que “devem saber inovar todos os dias e integrarem as tecnologias de forma adequada nas aulas”
O evento, fruto da parceria entre a E-CODE {escola de programação} e a ANPRI – Associação Nacional de Professores de Informática, contou com o apoio da Câmara Municipal de Setúbal, e de parcerias com a Google, a Microsoft, a IBM, o IEFP, a Direção-Geral de Educação, a Agência Nacional de Inovação, a ANJE, o Instituto Politécnico de Setúbal, a CDI Portugal, a Universidade de Lisboa, a APDSI e a ATEC, e o apoio da Porto Editora, da Promethean, da Novabit, do Ludicenter, da Botnroll e do Santander, entre outros.

26 Mai 2016

“Durante dois dias, Setúbal será efetivamente a capital nacional da informática”

fototiago

A E-TECH PORTUGAL ’16 é uma feira tecnológica que vai decorrer em Setúbal nos próximos dias 3 e 4 de Junho. Organizada pela E-CODE {escola de programação} e pela ANPRI – Associação Nacional de Professores de Informática, tem como objetivo abordar o tema da empregabilidade digital e as oportunidades do sector. Nesse sentido, entrevistámos o project manager, Tiago Oliveira, acerca do evento que se aproxima.

 

Antes de mais, o que é que vai ser a E-TECH PORTUGAL ’16?

A E-TECH PORTUGAL ’16 vai ser o maior evento tecnológico a sul do Tejo – portanto, estamos a falar de um evento de âmbito nacional. Mais propriamente, a E-TECH PORTUGAL ’16 vai ser uma Feira Tecnológica dirigida a todos, com Workshops, Stands Temáticos, Demonstrações de Produtos e Serviços, Concursos de Robótica, Torneios de jogos e espaços de lazer.

Paralelamente, vamos ter também um Conferências de especialistas, e nesse particular vamos trazer a Setúbal os maiores nomes do panorama nacional no que toca ao mundo digital – desde os representantes das maiores empresas, como a Google, Microsoft, IBM, só para nomear alguns, passando por figuras de Estado e investigadores de ponta.

Durante dois dias, Setúbal será efetivamente a capital nacional da informática.

 

Espera-se então um evento com uma dimensão considerável…

Tal como referi, este será o maior evento tecnológico a sul do Tejo. A nossa previsão é de cerca de 2 mil visitantes nos dois dias – 3 e 4 de Junho, sexta e sábado –, isto só para a Feira Tecnológica, porque relativamente às Conferências, estamos limitados aos 250 lugares da sala.

Acreditamos que a oferta que a Feira Tecnológica vai trazer será por si só um chamariz suficiente – não nos esqueçamos que é um evento dirigido não só ao público especializado, mas essencialmente ao público em geral, e optámos por não cobrar valores de entrada precisamente para partilhar com o máximo número de pessoas possível esta oportunidade.

Queremos que todos possam ver o que se faz de novo em Portugal no domínio das Tecnologias de Informação e Comunicação e Eletrónica – é por isso que vamos ter os stands de exposição e as demonstrações de produtos e serviços; queremos que todos possam participar e fazer parte dessa novidade – e organizámos os workshops.

Ou seja, este não é um evento apenas para alguns “escolhidos”, pelo contrário, é um evento feito a pensar nas pessoas e nas famílias. Dou um exemplo: vamos ter connosco o Museu dos Videojogos, que vai trazer consigo computadores e consolas antigas, com jogos, para que quem queira possa jogar à vontade. Qual é o pai que não vai querer mostrar aos filhos os jogos do seu tempo e ter a oportunidade de jogar com eles?…

 

Nesse caso, para acolher um evento destas dimensões, distribuíram as atividades pela cidade…

Não, pelo contrário. Setúbal tem infraestruturas excelentes ao serviço da população; em havendo sinergias, as coisas acontecem. O evento vai decorrer integralmente na Escola Secundária D. João II – tanto a Feira Tecnológica como as Conferências.

É um local com excelentes condições, foi requalificado recentemente no âmbito do Parque Escolar, tem acessos fáceis e zonas de estacionamento gratuito – reúne as condições ideais. E tem mais uma vantagem: chama as pessoas para usar os espaços que são delas, os espaços públicos.

Naturalmente, não seria possível sem a colaboração e disponibilidade do corpo diretivo da escola – eles estiveram connosco desde o primeiro momento.

 

De onde surgiu a ideia para um evento deste âmbito?

A ideia surgiu em uma dessas sinergias que se criam: a E-CODE {escola de programação} e a ANPRI – Associação Nacional de Professores de Informática são os organizadores do evento. Duas entidades líderes da área, a E-CODE na formação e ensino de programação e informática, a ANPRI na gestão da formação e representação do ensino público. Objetivos comuns, como sejam o realçar da importância do sector das TICE em Portugal – com um peso cada vez maior na economia do país –, e a divulgação da Empregabilidade Digital como aposta no futuro. E a partir daí nasce o projeto.

É claro que neste caminho contámos com parceiros de renome, como sejam a Google, a Microsoft, a IBM, o IEFP, o IAPMEI, a Direção-geral de Educação, a Agência Nacional de Inovação, a Câmara Municipal de Setúbal, a ANJE, o Instituto Politécnico de Setúbal, a CDI Portugal, a Universidade de Lisboa a Porto Editora, a Promethean, a APDSI, apenas para nomear alguns.

 

Ou seja, cruzam-se aqui caminhos entre mundo da educação e mundo do trabalho…

Sim, sem dúvida. Repare-se que o tema das conferências é Empregabilidade Digital – estima-se que até 2020 sejam necessários cerca de 15 mil pessoas para a área. E só faria sentido se fosse assim: para quê fazer algo que não acrescenta valor?

A educação – escolar, não escolar, formal, informal – está presente no ADN da E-TECH PORTUGAL ’16. Os concursos de robótica têm na sua maioria equipas de escolas; vamos ter um stand da Direcção Geral de Educação com a sala de aulas do futuro; temos visitas agendadas de escolas. Queremos que os jovens que nos visitem saiam daqui com um brilho nos olhos, e deixá-los a pensar se não será este o caminho para fazer uma profissão. E depois, temos as conferências, dirigidas a especialistas, que contarão com a presença de muitos professores – não só porque têm creditação no âmbito da formação contínua de professores, mas acima de tudo porque o que se vai debater é pertinente.

Idealmente, queremos passar de maior evento a sul do Tejo para maior evento nacional – são passos que se dão, e estamos a construir essa relação com o público. Um dia poderemos ser uma plataforma de referência para escolas e empresas – as condições estão-se a reunir, e temos não só ambição como competência para chegar a esse nível.

22 Mai 2016

AMBIENTE EDUCATIVO INOVADOR – DGE

ENTRADA GRATUITA MAS DE INSCRIÇÃO OBRIGATÓRIA
Venha com a sua turma ou grupo de amigos visitar aquele que é o projeto de Sala do Futuro da Direção Geral da Educação -INOVAÇÃO: O Futuro é Hoje!

Seis áreas específicas que permitem aos visitantes experienciarem alguns aspetos considerados relevantes nas várias áreas de ensino e aprendizagem:

  • Criar – Área onde ocorre a planificação e produção de conteúdos;
  • Interagir – Área dinâmica onde se promove a interação e envolvimento nas tarefas propostas;
  • Apresentar – Área de partilha e comunicação onde também é possível receber feedback pelo trabalho desenvolvido;
  • Investigar – Área de investigação onde se estimula o desenvolvimento do pensamento crítico. A investigação pode ocorrer através da leitura, observação, pesquisa, realização de experiências científicas ou o uso de robots;
  • Partilhar – Área de colaboração em que se fomenta o trabalho em equipa;
  • Desenvolver – Zona de aprendizagem informal e de autorreflexão.

* As condições de acessibilidade ao Stand serão, tanto quanto possível, salvaguardadas, quer nos aspetos da conceção arquitetónica, quer na acessibilidade à exploração, pelos visitantes, das atividades propostas.
+ INFO E INSCRIÇÕES EM: http://e-tech.pt/feira-tecnologica/

 

22 Mai 2016

Elite da informática reunida em Setúbal

Evento conta com a presença do Secretário de Estado da Educação, João Costa, e da Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Catarina Marcelino

Setúbal será anfitriã da elite do mundo informático português durante os próximos dia 3 e 4 de Junho – as datas da realização do Ciclo de Conferências da E-TECH PORTUGAL ’16.

Esta feira tecnológica, que vai ter lugar no espaço da Escola Secundária D. João II, e cuja entrada é gratuita, será coroada com um Ciclo de Conferências subordinado ao tema da Empregabilidade Digital, com vários painéis disponíveis.

Logo no dia 3 de Junho, sexta-feira, após a sessão de abertura, pela presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, Fernando Carvalho Rodrigues, o “pai” do satélite português, dá início aos trabalhos com o tema “Trabalhar para nascidos e fabricados”.

De seguida, debate-se o lugar das Tecnologias de Informação e Comunicação e Eletrónica (TICE) na Economia e na Europa e até que ponto estamos preparados para o impacto que se espera, com o tema “2020 Odisseia Digital Portugal estará preparado?”. Carlos Zorrinho (Deputado Europeu) apresenta uma sessão moderada por Pedro Oliveira (Diretor Exame Informática); os intervenientes serão José Carlos Caldeira (Presidente do Conselho de Administração da ANI), Miguel Fernandes (Executive Director da EY), Pedro Veiga (Centro Nacional de Cibersegurança), e Miguel Jorge de Campos Cruz (Presidente IAPMEI).

Para debater os resultados na aposta na Qualificação e Requalificação para Emprego em TIC, e na nova geração de Empreendedores teremos a temática “Empreendedorismo Digital, It’s a Kind of Magic?”. Frank Ihringer (Fundador da Infra Support Ibéria) será o speaker, numa sessão moderada por Luísa Carvalho (Universidade Aberta). O painel conta com as intervenções de Luís Miguel Flores (Diretor de Engenharia da Introsys – AISET), Luís Calado (Technical Evangelist – Microsoft), Pedro Dominguinhos (Presidente Instituto Politécnico de Setúbal) e Francisco Fonseca (Vice-presidente da ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários).

Para sábado, dia 4, o tema “Recursos Tecnológicos na Educação – Moda ou Necessidade?” traz à tona a discussão sobre a pertinência do uso de recursos educativos mormente baseados em soluções tecnológicas, e até que ponto a sua exploração é adequada. Destaca-se a participação de Luísa Caravela de Oliveira (Diretora Adjunta – IEFP Setúbal), Miguel Figueiredo (Professor), Vânia Neto (Diretora Microsoft), João Couvaneiro (Professor), João Baracho (Diretor Executivo CDI Portugal) e Fernanda Ledesma (Presidente ANPRI – Associação Nacional de Professores de Informática). Neuza Pedro (Professora) é a oradora, numa sessão moderada por Carlos Cunha (Professor Coordenador Projeto SAF).

Na senda da previsão da CPED da criação de 15 mil empregos no sector até 2020, focamos as nossas atenções na empregabilidade digital com as intervenções de Rui Parente (Coordenador IEFP), João Manuel Ferreira Calado (Professor Coordenador ISEL), Pedro Félix Mendes (Territory Manager @ Google for Work) e José Vitor Pedroso (Diretor-Geral da Educação). Ana Cláudia Valente (CEPCEP – Universidade Católica Portuguesa) será a speaker, numa sessão moderada por Ana Martins (Jornalista).

A par da empregabilidade digital, não deixa de ser atual a pertinência da igualdade de género num mundo marcada e reconhecidamente vincado pela presença masculina. “As TICE têm Sexo?” é a questão que se impõe, e será apresentada por Cristina Archer (Diretora IBM), moderada por Natividade Coelho (Diretora CDSS de Setúbal), e contando com as perspetivas de Rui Ribeiro (Gestor Serviço Técnico FCT|FCCN), Luís Correia (Professor), Teresa Chambel (Professora), Nancy Brito (Consultora) e Clara Celestino (HR Manager – Microsoft Portugal).

A fechar, o professor João Correia de Freitas aborda o rumo das TICE, no tema “Tecnologias, para onde caminhamos? – Perspetivas e Estratégias”.

O Ciclo de Conferências fica concluído com a sessão de encerramento, na qual estarão presentes e farão uso da palavra Catarina Marcelino, Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, João Costa, Secretário de Estado da Educação, e Fernanda Ledesma, Presidente ANPRI – Associação Nacional de Professores de Informática.

O coordenador do projeto, Tiago Oliveira, salienta a oportunidade que este evento representa: “conseguimos reunir em Setúbal a elite do mundo informático português, e nesse aspeto já colocámos o nome da E-TECH PORTUGAL ‘16 no panorama nacional”. “Estamos a entrar na recta final das inscrições, com uma casa quase cheia, e talvez seja o momento de fazer o apelo a todos os interessados – reservem o vosso lugar, porque esta é uma oportunidade única. É o maior evento do género no sul do país, e as expectativas são bastante elevadas.”

O Ciclo de Conferências da E-TECH PORTUGAL ’16 é um evento creditado para professores, ao abrigo do Decreto-Lei n.º 22/2014, com certificação da DGERT, e necessita de inscrição prévia.

A entrada para a Feira Tecnológica, que decorrerá nas instalações da Escola Secundária D. João II em Setúbal, é gratuita.

Esta evento resulta da organização conjunta da E-CODE {escola de programação} e da ANPRI – Associação Nacional de Professores de Informática, contando com parceiros de renome, como sejam a Google, a Microsoft, a IBM, o IEFP, o IAPMEI, a Direção-geral de Educação, a Agência Nacional de Inovação, a Câmara Municipal de Setúbal, a ANJE, o Instituto Politécnico de Setúbal, a CDI Portugal, a Universidade de Lisboa, a Porto Editora, a Promethean, a APDSI, apenas para nomear alguns.

Inscrições aqui: http://e-tech.pt/inscricoes/

22 Mai 2016

Setúbal recebe o maior evento tecnológico a sul do tejo

Nos dias 3 e 4 de Junho, Setúbal vai ser a casa do maior evento tecnológico a sul do Tejo – a E-TECH PORTUGAL ’16 –, uma Feira Tecnológica com Workshops, Stands Temáticos, Demonstrações de Produtos e Serviços, Atividades para famílias e jovens, Concursos de Robótica, Torneios de Minecraft, Counterstrike e Fifa16, e uma Conferência de especialistas, este é o primeiro evento do género em Setúbal, e pretende tornar-se um evento de referência a nível nacional. A entrada na Feira Tecnológica é gratuita.
O grande objetivo deste evento é trazer ao debate a importância do sector das TICE em Portugal – um sector em crescimento, com um peso cada vez maior na economia do país –, divulgando a Empregabilidade Digital como aposta no futuro. Nesse sentido, paralelamente à Feira Tecnológica, vai ter lugar um Ciclo de Conferências sob a temática da Empregabilidade Digital, que trará a Setúbal CEOs de multinacionais de topo, investidores, investigadores e profissionais
Durante os 2 dias do evento, irão passar pelo espaço da Escola Secundária D. João II nomes de vulto na área da ciência e tecnologia, como é o caso do professor Fernando Carvalho Rodrigues, o “pai” do satélite português, Frank Ihringer, fundador da Infra Support Iberia, Cristina Archer, diretora IBM, Miguel Fernandes, executive director da EY, Vânia Neto, diretora Microsoft, Pedro Félix Mendes, Territory manager da Google for Work, Pedro Veiga, do Centro Nacional de Cibersegurança, Clara Celestino, HR Manager da Microsoft Portugal, Pedro Oliveira, diretor da Exame Informática, Fernanda Ledesma, Presidente da Associação Nacional de Professores de Informática, João Correia de Freitas, professor da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT), João Baracho, Diretor Executivo CDI Portugal, entre outros.
Também os órgãos de governo e administração estarão representados, quer a nível nacional, com destaque para João Costa, Secretário de Estado da Educação, Catarina Marcelino, Secretaria de Estado da Cidadania e Igualdade, José Vítor Pedroso, Diretor-geral da Educação, Miguel Jorge de Campos Cruz, presidente do IAPMEI, José Carlos Caldeira, Presidente do Conselho de Administração da ANI, quer a nível local, com Maria das Dores Meira, presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Natividade Coelho, Diretora da Segurança Social de Setúbal, Luísa Oliveira, Diretora-Adjunta Centro Emprego Formação Profissional de Setúbal, Pedro Dominguinhos, presidente do Instituto Politécnico de Setúbal e a nível europeu com a presença de Carlos Zorrinho, eurodeputado.
As famílias terão lugar assegurado na feira tecnológica, tendo à sua disposição workshops, demonstrações de produtos e serviços, para além dos cerca de 20 expositores que apresentarão o que de topo se faz em Portugal e no Mundo. Há ainda a oportunidade conhecer mais de perto a Sala do Futuro da Direção-geral da Educação ou assistir aos Workshops gratuitas da Microsoft (Office 365 e Sway) ou a Workshops de Impressão e Modelação 3D e de Realidade Virtual.
Destaque especial para a presença do Museu dos Videojogos, que trará consigo mais de 20 consolas e jogos “de outros tempos” – uma oportunidade para mostrar aos mais novos como eram passadas horas de diversão, ou pura e simplesmente para passar um bom momento a jogar.
A entrada para a Feira Tecnológica, que decorrerá nas instalações da Escola Secundária D. João II em Setúbal, é gratuita.
Esta evento resulta da organização conjunta da E-CODE {escola de programação} e da ANPRI – Associação Nacional de Professores de Informática, contando com parceiros de renome, como sejam a Google, a Microsoft, a IBM, o IEFP, o IAPMEI, a Direção-geral de Educação, a Agência Nacional de Inovação, a Câmara Municipal de Setúbal, a ANJE, o Instituto Politécnico de Setúbal, a CDI Portugal, a Universidade de Lisboa a Porto Editora, a Promethean, a APDSI, a ATEC, apenas para nomear alguns.

06 Mai 2016

Setúbal recebe o maior evento tecnológico a sul do tejo

Nos dias 3 e 4 de Junho, Setúbal vai ser a casa do maior evento tecnológico a sul do Tejo – a E-TECH PORTUGAL ’16 –, uma Feira Tecnológica com Workshops, Stands Temáticos, Demonstrações de Produtos e Serviços, Atividades para famílias e jovens, Concursos de Robótica, Torneios de Minecraft, Counterstrike e Fifa16, e uma Conferência de especialistas, este é o primeiro evento do género em Setúbal, e pretende tornar-se um evento de referência a nível nacional. A entrada na Feira Tecnológica é gratuita.

O grande objetivo deste evento é trazer ao debate a importância do sector das TICE em Portugal – um sector em crescimento, com um peso cada vez maior na economia do país –, divulgando a Empregabilidade Digital como aposta no futuro. Nesse sentido, paralelamente à Feira Tecnológica, vai ter lugar um Ciclo de Conferências sob a temática da Empregabilidade Digital, que trará a Setúbal CEOs de multinacionais de topo, investidores, investigadores e profissionais

Durante os 2 dias do evento, irão passar pelo espaço da Escola Secundária D. João II nomes de vulto na área da ciência e tecnologia, como é o caso do professor Fernando Carvalho Rodrigues, o “pai” do satélite português, Frank Ihringer, fundador da Infra Support Iberia, Cristina Archer, diretora IBM, Miguel Fernandes, executive director da EY, Vânia Neto, diretora Microsoft, Pedro Félix Mendes, Territory manager da Google for Work, Pedro Veiga, do Centro Nacional de Cibersegurança, Clara Celestino, HR Manager da Microsoft Portugal, Pedro Oliveira, diretor da Exame Informática, Fernanda Ledesma, Presidente da Associação Nacional de Professores de Informática, João Correia de Freitas, professor da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT), João Baracho, Diretor Executivo CDI Portugal, entre outros.

Também os órgãos de governo e administração estarão representados, quer a nível nacional, com destaque para João Costa, Secretário de Estado da Educação, José Vítor Pedroso, Diretor-geral da Educação, Miguel Jorge de Campos Cruz, presidente do IAPMEI, José Carlos Caldeira, Presidente do Conselho de Administração da ANI, quer a nível local, com Maria das Dores Meira, presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Natividade Coelho, Diretora da Segurança Social de Setúbal, Luísa Oliveira, Diretora-Adjunta Centro Emprego Formação Profissional de Setúbal, Pedro Dominguinhos, presidente do Instituto Politécnico de Setúbal e a nível europeu com a presença de Carlos Zorrinho, eurodeputado.

As famílias terão lugar assegurado na feira tecnológica, tendo à sua disposição workshops, demonstrações de produtos e serviços, para além dos cerca de 20 expositores que apresentarão o que de topo se faz em Portugal e no Mundo. Há ainda a oportunidade conhecer mais de perto a Sala do Futuro da Direção-geral da Educação ou assistir aos Workshops gratuitas da Microsoft (Office 365 e Sway) ou a Workshops de Impressão e Modelação 3D e de Realidade Virtual.

Destaque especial para a presença do Museu dos Videojogos, que trará consigo mais de 20 consolas e jogos “de outros tempos” – uma oportunidade para mostrar aos mais novos como eram passadas horas de diversão, ou pura e simplesmente para passar um bom momento a jogar.

A entrada para a Feira Tecnológica, que decorrerá nas instalações da Escola Secundária D. João II em Setúbal, é gratuita.

Esta evento resulta da organização conjunta da E-CODE {escola de programação} e da ANPRI – Associação Nacional de Professores de Informática, contando com parceiros de renome, como sejam a Google, a Microsoft, a IBM, o IEFP, o IAPMEI, a Direção-geral de Educação, a Agência Nacional de Inovação, a Câmara Municipal de Setúbal, a ANJE, o Instituto Politécnico de Setúbal, a CDI Portugal, a Universidade de Lisboa a Porto Editora, a Promethean, a APDSI, apenas para nomear alguns.

 

 

05 Mai 2016

REGULAMENTO LANPARTY

REGULAMENTO

TERMOS E CONDIÇÕES

A participação na LAN E-TECH rege-se pelos termos e condições descritas neste regulamento.

INSCRIÇÕES

1. A inscrição na LAN E-TECH é feita através do preenchimento de um formulário de inscrição no separador “Inscrições” no sítio online http://e-tech.pt/inscricoes/, ou no local de realização da Lan Party (caso ainda existam vagas);
2. A inscrição nos torneios que decorrerão durante a LAN E-TECH é efetuada durante a Lan Party, quando forem abertas as inscrições correspondentes a cada concurso (a. Counter-Strike (GO), b. FIFA 16 e c. Minecraft) .
a. Counter-Strike (GO) é organizado entre equipas de 5 jogadores;
b. FIFA 16 é organizado por jogos, no qual o oponente é escolhido através da plataforma de organização do jogo, até se chegar às finais;
c. Minecraft é organizado por jogos, no qual o oponente é escolhido através da plataforma de organização do jogo, até se chegar às finais;
3. Os preços associados à inscrição na LAN E-TECH encontram-se disponíveis no sítio online acima referido.

DIREITOS DOS PARTICIPANTES

Cada participante inscrito na LAN E-TECH terá direito a:
1. Um posto onde possa instalar o seu computador pessoal, com uma tomada de rede e tomada de corrente;
2. Participar nas atividades e competições programadas, nas condições gerais e particulares determinadas pela organização;

NORMAS DE ATUAÇÃO

Todos os participantes deverão cumprir as normas de funcionamento e comportamento que sejam estabelecidas pela organização. A organização reserva o direito de expulsar o participante do evento, caso este desrespeite as normas estipuladas para o mesmo.

INSCRIÇÕES

1. A organização da LAN E-TECH reserva o direito de admissão dos participantes na Lan Party.
2. Podem inscrever-se todos os indivíduos com idade igual ou superior a 16 anos.
3. Todos os participantes menores de 16 anos e que desejem participar na Lan Party deverão entregar, no ato da inscrição, à organização uma declaração dos pais (disponível em http://e-tech.pt/ ) responsabilizando-se pela participação do menor.
3. O critério de admissão utilizado, será a ordem de inscrição.
4. A validação da identidade de cada participante é feita mediante a apresentação do cartão de cidadão ou bilhete de identidade. Cada participante inscrito deverá fazer-se acompanhar do seu cartão de cidadão ou bilhete de identidade durante o período de realização da Lan party e facultá-lo quando que lhe for solicitado pela organização.

PAGAMENTO

1. Aquando do pagamento antecipado para reserva de lugar na Lan Party o participante deverá ter conhecimento de que não serão feitas devoluções do montante exceto em caso de:
a. Acidente pessoal que impossibilite a participação no evento, mediante atestado médico;
b. Cancelamento do evento.

EQUIPAMENTO

1. Cada participante deverá trazer um computador (completo), placa de rede RJ45, extensão elétrica tripla, auricular.
2. É proibido o uso de colunas no espaço da Lan Party.
3. É obrigatório o uso de auricular no posto individual AVISO: Informa-se que a organização não se responsabiliza por quaisquer danos materiais nos equipamentos dos participantes ou bens pessoais, no decorrer da Lan Party.

LOCAL

1. A zona associada à Lan Party é de acesso reservado aos participantes inscritos;
2. É proibido levar ou consumir bebidas alcoólicas dentro do espaço escolar;
3. O espaço respeitante a cada participante deverá ser respeitado;
4. Não é permitido material alheio ao participante no local reservado ao mesmo;
5. A organização reserva-se ao direito de expulsar qualquer participante que manifeste sinais de embriagues ou falta de respeito pelo espaço;
6. É proibido fumar dentro do recinto da Lan Party.

DURAÇÃO E PLANEAMENTO

Datas: 3 e 4 de Junho de 2016
Duração: 2 Dias
Dia 3 –

16h00 Abertura do check-in

Dia 3 – 18h00 – 20h00 – Instalação/Configuração & abertura das inscrições para torneios

Dia 3 – 20h00 – 21h00 – Pausa para jantar

Dia 3 – 21h00 – 24h00 – LAN PARTY

Dia 4 – 00h00 – 09h00 – LAN PARTY

Dia 4 – 09h00 – 10h00 – Pausa Lanche

Dia 4 – 10h00 – 13h00 – LAN PARTY

Dia 4 – 13H00 – 14H00 – ALMOÇO

Dia 4 – 14h00 – 17h00 – LAN PARTY

Dia 4 – 17h30 – 18h00 – ENTREGA DE PRÉMIOS

DISPOSIÇÕES FINAIS

A organização reserva o direito de cancelar, modificar ou alterar qualquer atividade e competição que decorra durante a Lan Party.
As alterações, cancelamentos ou mudanças serão anunciadas no local do evento.

E-Tech, 1 de maio de 2016

Declaração de menores REGULAMENTO LAN

27 Abr 2016

À descoberta do potencial digital de uma geração: como a crise de empregabilidade pode ser estancada pela tecnologia

A natureza do conhecimento está a mudar, e, na era digital, a nossa definição de literacia básica precisa de se expandir com urgência.

A realidade é conhecida de todos – jovens à procura de emprego, dificuldades de acesso ao mercado de trabalho… por um lado, quem procura emprego não se consegue enquadrar nas exigências do mercado de trabalho; por outro, são muitas vezes os empregadores a apontar o dedo à formação, que não prepara convenientemente os jovens para o mundo do trabalho. Continue reading À descoberta do potencial digital de uma geração: como a crise de empregabilidade pode ser estancada pela tecnologia

22 Abr 2016

Uma estratégia para criar 15 mil empregos

As previsões do horizonte 2020 para a evolução do mercado de trabalho em TIC para Portugal indicam um crescimento no sector que exigirá o preenchimento de mais 15 mil vagas – e neste momento, prevê-se uma tarefa difícil no sentido de encontrar pessoas para as preencher.

 

O dinamismo no desenvolvimento da força de trabalho em TIC na Europa, entre 2000 e 2012, revelou um crescimento significativo, refletido no aumento dos especialistas em TIC na União Europeia. Muito embora a maioria dos países tenha aumentado a quota de emprego nesta área, Portugal continua entre os países com menor proporção de trabalhadores nestas funções.

Os números cifram-se na ordem dos 2.5%, baixos quando comparados com a média europeia (3.7%). Na verdade Portugal está ao nível de Roménia, Lituânia e Grécia, estando no polo oposto Finlândia, Suécia, Malta, Eslováquia e Reino Unido, com 5% de trabalhadores em funções TIC.

Analisando as razões que levam a esta situação, nota-se ainda um défice estrutural nas qualificações escolares – o nível de qualificação da nossa força de trabalho em TIC é baixo, e este apresenta-se como um problema estrutural. Do mesmo modo, falta ainda consolidar um sistema de aprendizagem ao longo da vida, que permita situações de reconversão profissional ou até mesmo de formação contínua. A terminar, há ainda uma ligação ténue entre mercado de trabalho e qualificação, com a necessidade de reforçar a promoção de formação certificada individualizada, que tenha por base as necessidades reais de qualificação nos diferentes territórios e sectores económicos.

As previsões do horizonte 2020 para a evolução do mercado de trabalho em TIC para Portugal indicam um crescimento no sector que exigirá o preenchimento de mais 15 mil vagas – e neste momento, prevê-se uma tarefa difícil no sentido de encontrar pessoas para as preencher.

Para fazer face a esta necessidade a nível da Empregabilidade Digital, foi desenvolvida a Estratégia e Plano de Ação para a Empregabilidade Digital, ancorada na Coligação Portuguesa para a Empregabilidade Digital (CPED).

Com este Plano de Ação, a CPED pretende, até 2020, fazer de Portugal uma referência internacional no sector das TIC, mobilizando os principais atores das TIC. Assim, pretende-se uma intervenção transversal, que abarque áreas como processos de inovação, I&DT, transferência de conhecimento, formação avançada, desenvolvimento, produção e comercialização de produtos e serviços, marketing e internacionalização.

Para o atingir, o CPED, através da Estratégia e Plano de Ação para a Empregabilidade Digital, desenhou quatro eixos prioritários de intervenção:

  • Promoção dos processos de qualificação – seja qualificação inicial, ou requalificação de ativos desempregados, assente num sistema de aprendizagem ao longo da vida;
  • Ampliação de recursos humanos disponíveis – essencialmente assente na valorização dos processos de formação no domínio das TIC;
  • Sensibilização da sociedade portuguesa – no sentido de fazer compreender a necessidade de modernização contínua e sistemática das aprendizagens baseadas nas TIC e, principalmente, para a oportunidade de empregabilidade em TIC;
  • Captação de investimento – através da qualificação dos recursos humanos, de parcerias entre as empresas e as universidades e/ou centros tecnológicos, ou pelo alto nível de infraestruturas existentes em Portugal.

A E-TECH PORTUGAL ’16 – uma Feira Tecnológica na área das TICE, dirigida ao público em geral, Professores, Investigadores e a Profissionais da área – enquadra-se precisamente neste âmbito de promoção da Empregabilidade Digital, inserindo-se no plano de atividades da CPED – Coligação Portuguesa para a Empregabilidade Digital e com o patrocínio do IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação.

Com a organização deste evento, pretende-se realçar a importância do sector das TICE em Portugal – um sector em crescimento, com um peso cada vez maior na economia do país –, divulgando a Empregabilidade Digital como aposta no futuro.

A E-TECH PORTUGAL ’16 é o resultado de uma organização parceira entre a E-CODE {escola de programação} e a ANPRI – Associação Nacional de Professores de Informática.

 

15 Abr 2016

E-CODE{escola de programação} e a ANPRI organizam o maior evento tecnológico a sul do Tejo

E-TECH PORTUGAL ’16 – Feira Tecnológica faz de Setúbal capital da computação

A E-CODE {escola de programação} e a ANPRI – Associação Nacional de Professores de Informática, vão organizar a E-TECH PORTUGAL ’16, uma Feira Tecnológica na área das TICE, dirigida ao público em geral, Professores, Investigadores e a Profissionais da área.

A decorrer em Setúbal, dias 3 e 4 de Junho, a E-TECH PORTUGAL ’16 vai contar com Conferências de especialistas, Workshops, Stands Temáticos, Demonstrações de Produtos e Serviços, Atividades para famílias e jovens, Concursos de Robótica, Torneios de Minecraft e Counterstrike. Teremos uma viagem no tempo, proporcionada pelo Museu dos Videojogos, que nos trará 40 anos da evolução da tecnologia em videojogos para que todos joguem.

Com a organização deste evento, pretende-se realçar a importância do sector das TICE em Portugal – um sector em crescimento, com um peso cada vez maior na economia do país –, divulgando a Empregabilidade Digital como aposta no futuro.

Empregabilidade digital

A E-TECH PORTUGAL ’16 resulta da organização conjunta da E-CODE e da ANPRI, no âmbito da promoção da Empregabilidade Digital, inserindo-se no plano de atividades da CPED – Coligação Portuguesa para a Empregabilidade Digital e com o patrocínio do IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação.

São parceiros desta iniciativa a Escola Secundária D. João II, a Direção-Geral de Educação, o Centro de Formação Ordem de Santiago, a ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários, DRC- Data Recover Centre, o IAPMEI, o Instituto Politécnico de Setúbal, a Academia Luísa Todi, a APDSI – Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade da Informação, a Google, a Promethean, a Universidade de Lisboa, o Instituto de Educação, a Digital Brands – Web Agency, a Porto Editora, a Exame Informática, a Microsoft, a CDI Portugal, a Novabit, o ECWT – European Centre for Women and Technology, e o Museu dos Videojogos.

Conhecimento

Porque a Empregabilidade Digital é o mote deste E-TECH PORTUGAL ’16, vai decorrer paralelamente um ciclo de conferências subordinadas ao tema.

Este ciclo de conferências, que decorre também nos dias 3 e 4 de Junho, vai contar com 30 oradores de excelência das mais diversas áreas da tecnologia.

O evento, limitado a 250 inscrições, é uma ação creditada para professores (ao abrigo do Dec.-Lei 22/2014, de 11 de Fevereiro), e vai abordar temas como as TICE na Economia e na Europa, a Empregabilidade Digital, o Empreendedorismo Digital, a Intervenção das TICE na Educação, e a Igualdade de Género nas TICE.

 

A E-TECH PORTUGAL ’16 é um evento dirigido a todos: aos jovens, aos menos jovens, aos idosos, aos curiosos, às famílias, aos amigos, aos profissionais e aos que um dia o querem ser.

Vai ser o maior evento tecnológico a sul do Tejo, e Setúbal será, por dois dias, a capital da computação!

 

Feira Tecnológica

Direcionada ao público em geral, a Feira Tecnológica espera receber cerca de 50 expositores de áreas TICE, que representarão instituições e parceiros, desde a programação à robótica, do desenvolvimento de software às últimas novidades a nível de hardware.

Para além dos Stands Temáticos, este espaço será o centro nevrálgico da E-TECH PORTUGAL ’16, onde vão decorrer todas as atividades programadas: atividades para as famílias e jovens, workshops de Startups e Empreendedores, bem como um espaço onde qualquer empresa pode fazer demonstrações de produtos e serviços.

A entrada é gratuita.

 

Jogar!

Um evento tecnológico desta dimensão não estaria completo sem jogos.

Nesse sentido, contamos já com a presença do reputado Museu dos Videojogos, que irá colocar à disposição de todos os visitantes consolas e jogos de outros tempos: para uns será reviver, para outros descobrir – para as famílias, uma oportunidade de criar laços num momento descontraído de pura diversão.

Para os mais competitivos, torneios de Minecraft e Counterstrike – e prémios para os vencedores!

Para os mais exigentes, um concurso de Robótica vai levar ao limite as capacidades dos participantes.

Mais informações em: www.e-tech.pt